Notícia

Flávia Salmázio - Publicado em 21-03-2020 13:00 - Atualizado em 2020-03-21
COVID-19: Replanejamento de ações no Brasil e na UFSCar
Com replanejamento, UFSCar enfrenta as dificuldades como oportunidades (Foto: Arquivo UFSCar)
Com replanejamento, UFSCar enfrenta as dificuldades como oportunidades (Foto: Arquivo UFSCar)
Na manhã de 14 de março (sábado), a Reitoria da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) reuniu-se com o Comitê de Controle e Cuidados em relação ao COVID-19, instituído pela Universidade. Após discussões sobre a doença, ficou definido que a UFSCar suspenderia as atividades acadêmicas de 16 a 29 de março. Em 16 de março (segunda), a Reitora da UFSCar, Wanda Hoffmann, assinou a Portaria GR 4371 que estabelece medidas de caráter temporário visando reduzir a exposição da comunidade interna e externa à Universidade como forma de prevenção à COVID-19. 

A nova normativa da UFSCar, em consonância aos atos do Governo Federal e Estadual, propõe o replanejamento de rotinas e procedimentos de trabalho. O replanejamento abre a possibilidade do trabalho remoto (home-office). Para realização do trabalho remoto, as chefias, junto dos servidores, deveriam enviar plano de trabalho referente ao período de home-office até 18 de março de 2020. Mais de 140 processos foram gerados por diversas unidades da UFSCar, abrangendo servidores docentes, técnico-administrativos e estagiários no replanejamento de atividades.

A UFSCar vem encarando estas dificuldades como desafios. A Universidade ressalta, ainda, que as atividades administrativas não cessarão nestas duas semanas: passarão por reajustes. Por e-mail, telefone e utilizando os diversos sistemas para tramitação de informações e documentos, os serviços da UFSCar permanecem atendendo a sociedade interna e externa. O Restaurante Universitário da UFSCar, por exemplo, ajustou seu funcionamento e passou a fornecer gêneros alimentícios in natura aos bolsistas que manifestaram interesse por meio de formulário.

Aulas em meios digitais - A Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad) da UFSCar apresentou à Universidade um Ofício Circular que dialoga sobre "Procedimentos de Aulas em Meios Digitais" durante a pandemia do COVID-19. Aulas por meio digitais foram autorizadas pelo Ministério da Educação na última terça-feira (17 de março). Esta autorização tem duração de até 30 dias, prorrogáveis a depender de orientação do Ministério da Saúde e órgãos de saúde estaduais, municipais e distritais.

Fica a cargo das Instituições a adoção de meios digitais para ensino enquanto durar a situação de pandemia do novo Coronavírus. O Ofício Circular da ProGrad propõe aos cursos da UFSCar a avaliação da pertinência e viabilidade acerca de atividades não presenciais neste momento. A posição de cada Coordenação de Curso da Universidade deverá ser enviada até 24 de março. Este posicionamento será utilizado como subsídio às decisões da Universidade.

Organização Mundial de Saúde (OMS) - A (OMS) classificou a atual situação de transmissão da COVID-19 (novo Coronavírus) como "pandemia" em 11 de março deste ano. A classificação ocorreu devido à rápida disseminação geográfica da doença. A OMS considera que há risco potencial da COVID-19, doença infecciosa, atingir a população mundial de forma simultânea, não se limitando a locais que já tenham sido identificados como de transmissão.

No Brasil - Diante do quadro, medidas de saúde pública estão sendo adotadas por todo o mundo. No Brasil, já no dia 9 de março foi anunciado pelo Ministério da Saúde a abertura de um chamamento público para cerca de 5 mil profissionais pelo programa Mais Médicos. O chamamento objetiva reforçar a capacidade de assistência em saúde durante a emergência do Coronavírus. O edital permanece aberto até 22 de março. Até o momento já se inscreveram mais de 4.400 médicos.

Em 13 de março o Ministério da Saúde regulamentou os critérios de isolamento e quarentena que devem ser aplicados pelas autoridades de saúde para pacientes com suspeita ou confirmação de infecção por Coronavírus no Brasil. Também foram reforçadas medidas de prevenção individual. Segundo o Ministério da Saúde, sem a adoção de recomendações que previnam a transmissão do COVID-19, o número de casos pode dobrar a cada 3 dias

Estado de São Paulo - A atuação do Governo do Estado de São Paulo no combate ao COVID-19 se intensificou nas últimas semanas. Dentre as medidas adotadas estão a abertura de mais de 1.000 novos leitos hospitalares para o atendimento a casos do COVID-19, aquisição de respiradores, recomendações específicas para atendimento aos idosos, dentre outras. Na tarde do dia 13 de março (sexta-feira), o Ministério da Saúde junto ao Governo do Estado de São Paulo definiu pela suspensão gradual das aulas da rede estadual de ensino a partir de segunda (16 de março).